nota rápida sobre a ausência

17 fev

hoje o meu coração é só saudade. tem dia que é assim: escorre lágrima, surge um sorriso, volta uma memória. desse jeito fica até difícil fechar os olhos e dormir. a cabeça dá
voltas nela mesma. o telefone toca e não toca. tudo é estranho. tudo é mistério. tudo é ausência, falta de… de quê? de quem? de como. hoje eu preciso mais que seu carinho ou sua lembrança, hoje eu preciso adormecer num colo macio de braços aconchegantes que me forneçam calor e amor. um “como” para poder sonhar tranquila.

Esperando a Sossô

16 fev

A casa silenciosa de portas e janelas abertas fazem circular o ar e uma leve ansiedade.

Quando você frequenta uma UTI, acaba criando laços com seres que nem imaginaria encontrar. Digo “seres” pois estou falando de uma UTI animal. Dias atrás minha gatinha conseguiu a proeza de abrir uma janela e se enfiar embaixo do carro de um vizinho. Resultado? UTI. Ela segue evoluindo bem, como dizem todos do Hospital Veterinário São Sebastião, na zona norte de São Paulo, mas nem sempre é assim.

Com as visitas constantes, acabamos trombando os mesmos rostos e focinhos com certa frequência. Ontem, o Tandy não resistiu. Não nos veremos mais. Nem seus “pais”, que tão sentidos nos desejaram sorte e a melhora da “filhota”. Assim como uma pequena ao lado da minha Sophie, que apesar de super sapeca, perdeu para as cirurgias mal realizadas de uma outra clínica. A Rosinha estava lá, firme e forte querendo sair a todo custo! O Jeremias precisando de um lar e a Afrodite que, sempre deitadona, só vira de barriga pra baixo quando alguém diz o seu nome. Eles estarão lá hoje à noite?

A Sophie chegou em casa no meio de uma crise. Fugiu durante outra. De olhos arregalados, ela continua e me fazer olhar para além desses pequenos buracos nos quais eu caio. Ainda assim, é difícil. Tem sorriso que não sai. Colo que não surge. Pedidos que não são atendidos. Tem socorro que não chega. Tem visita que não aparece. Tem amigo que não volta. E tem vela que não se apaga. Nunca!

Sigo esperando o momento de fechar as janelas e as portas novamente, para ter a minha lindinha em casa. Minha Sossô. Quem sabe hoje ou amanhã ela está em casa. Somos mães e pais cheios de amor pelos nossos peludinhos esperando a volta deles pra casa com a fé que nos sustenta.

sophie e a rosa

Sophie e a Rosa – foto da mamãe Kel

 

Em terra de [alguns] homens mulher é criminosa

13 fev

Eu sou mulher.

Enquanto isso, ali na janela ao lado, na internet, no bar, na igreja, no congresso, no centro espírita e na casa do vizinho, eu sou um objeto. Se assustou? Para muitos somos seres inanimados. Sabe o que isso significa? Um ser sem alma, portanto sem vida, sem vontade própria. Não parece tão bonito. E não é. Ter direito sobre o próprio corpo é requisito básico de liberdade, civilidade e dignidade. Só que no Brasil, a coisa é outra…e bem feia.

Enquanto estamos aqui…

 

Inspire. A Renata Correa escreveu um texto incrível sobre o desafio contra o aborto. Leia aqui. Inspire novamente. Repense.

Enquanto “a prática insegura mata uma mulher a cada dois dias no país e é a 5a causa de morte materna” – mais aqui -, um número considerável de pessoas levanta uma bandeira supostamente pró-vida. E cada um que o faz legitima a nossa morte. Enquanto se defende com unhas e dentes um feto que só existe se eu existo, a nossa vida é pisoteada, surrada, estuprada, ignorada. Digo nossa porque cada mulher que morre por conta de um aborto clandestino, sujo e inseguro é um pedaço de todas as mulheres que morre junto.

é de doer o útero

é de doer o útero

Enquanto o elitismo e o racismo permanecem no poder, um problema que é só meu tenta ser resolvido por um estranho. Constantemente homem. E meu caro estranho, meu aborto não é problema seu, então não tente defender o feto que não está e nem será gerado no útero que você não tem. Não me diga o que você acha. Eu não pedi a sua opinião! Eu peço justiça, segurança e um tratamento médico e moral digno! É isso que merecemos, pedimos, imploramos, necessitamos!

Enquanto o pretenso amor de Deus é usado para mascarar o machismo perpétuo, eu, você, Allan Kardec e aquele vizinho que lava a calçada com mangueira evoluiremos. No espiritismo se prega a evolução individual acima de tudo. Então não se preocupe com velhos discursos, eles também vão evoluir. Desapegue deles. Mas enquanto isso não acontece, lembre-se: é no meu útero que a vida vai ou não acontecer. A Marília aqui tem chance de sobreviver, ela arranja uma grana emprestada. A mulher negra pobre não. Ela pode (e muitas vezes vai) morrer. Dá uma olhada nesse texto do Blogueiras Negras.

Criminalizar o aborto é criminalizar a mulher. Isso é um ato machista e racista. Agora, você pode continuar escravizando mulheres, apedrejando e as queimando em praça pública ou pode impedir que isso continue acontecendo. O que vai ser?

*tem mais um monte de textos sobre isso, escolhi o da Jarid pra terminar.

Salva pela mãe

2 fev

hoje é dia de yemanjá.

estava ouvindo a bethania e ela pergunta “quem é que já viu a rainha do mar” e eu aqui curtindo a brisa lembrei que já! me salvou de um afogamento quando eu era criança.

ela, linda. de cabelos muito escuros me tirou da água quando eu tinha uns 9 anos. meu pai jura que foi ele. salve rainha!

Emergência… Silêncio na linha

16 jan

O silêncio é muito sábio e se fez bastante presente na minha vida.
Muitos silêncios são impostos para nos levantarmos contra ele. Alguns para aprendermos seu valioso significado, e outros… Tem um único desses que me incomoda consideravelmente. Aquele da “mão amiga”. Que só parece amiga quando o perrengue é com ela. Não a mão que estendem pra você agarrar, mas a que permanece ali, implorando o seu toque sem nunca encontrar o equilíbrio entre os dois lados.
E o direito de ficar chateado com o outro por isso? A gente nem tem mais. Dizer que um amigo te feriu agora virou mimimi. Todos nós sabemos que existe mimimi! Óbvio! Só que usar isso como desculpa pro nosso egoísmo não rola.
Ficar em silêncio quando alguém vomita os problemas sem nem perguntar se podemos ou queremos ajudar e ainda tolerar o silêncio de quem você pediu socorro deve ser a lição mais importante que o silêncio tem a me ensinar, porque eu vou te contar… tem hora que é foda.

sobre comentários e movimentos

14 dez

discordar é preciso!
questionar com respeito é necessário.

eu rezo por um mundo onde as diferentes leituras se tornem um único ideal e uma carinhosa [real, forte e honesta] luta.

a discordância não precisa ser um combate, pra isso já temos as guerras. cruéis e assassinas podemos deixá-las de lado no embate intelectual para que a raiva cega dê lugar à compreensão de olhares serenos.

mas não toleraremos os que mascaram sua impiedade com bandeiras! não toleraremos a apropriação indevida de nossos pensamentos e sentimentos para serem colocados como munição de metralhadoras preconceituosas, machistas ou racistas.

Feridas e… e o que mesmo?

20 nov

Às vezes eu sinto tanta raiva de você!

Dos seus silêncios, suas fotos, a batida de porta, dos gritos, da sua fuga, da distância, do seu beijo, do corpo, do sol… da saudade que nem sei bem do que.

Você passou tão rápido e tão intensamente. Acabou deixando uma marca profunda.

Ela ainda não cicatrizou e agora ela sangra novamente. Foi só um arranhão, mas já fez a maior lambança em mim.

Foi num piscar de olhos e você já tinha ido. Eu nem tive tempo de fechar a janela e a porta já tinha se fechado pra sempre.

Sempre?

Não.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.